segunda-feira, 12 de maio de 2008

TAAG

O meu primeiro emprego a serio foi na TAAG - antes desse dei aulas mas isso nao conta e e outro mambo que contarei mais tarde. TAAG como devem saber, sao os Transportes Aereos de Angola ou "Take Another Goat" como os ingleses gostavam de se referir a companhia. O meu trabalho nao era muito fascinante; eu nao voava, tinha os pes bem firmes no chao! Trabalhei nas Financas, no quinto andar do predio da Luis de Camoes ou Rua da Missao, na seccao de Interline. Foi la que conheci a minha melhor amiga, uma daquelas amigas que sao mesmo para a vida inteira, uma daquelas que depois de nao nos vermos durante anos, encontramo-nos e e como se nos tivessemos visto ontem! Recomeca-se onde paramos ha 20 anos atras! O nosso trabalho era aceitar (ou rejeitar) facturacao de tickets nossos viajados em outras companhias. Muitas makas tivemos nos com a Cubana e outras que pensavam que nos podiam meter a unha! Hoje quando vou a uma agencia de viagens penso que o pessoal que la trabalha nao sabe a vida facil que tem. Poem no computador a origem, o destino, a data e ZAS! Teem o preco! Naquele tempo nos tinhamos de usar uns calhamacos duns manuais que nos davam a distancia em milhas de A a B a C e nos tinhamos de calcular, com a ajuda de uma maquina do tempo do caprandanda, quanto era a tal viagem! (quando contei isto as minhas filhas elas perguntaram-me se nunca fui atacada por nenhum dinossauro!) O departamento de computadores que ocupava o decimo andar inteiro (a TAAG era p’ra frentex, tinha computadores e tudo!) usava uns monstros dumas maquinas que trabalhavam com cartoezinhos perforados. A vida na TAAG era boa. As vezes iamos em grupos matabichar ao Tropico. O matabicho era sempre ovos com fiambre, mas sabia bem! As 5 em ponto era a debandada geral. Os elevadores iam tao cheios que nao conseguiam parar no R/C, iam directos a cave. O problema e que a unica maneira de sair da cave era pelo elevador...as vezes eram 6 horas quando conseguiamos finalmente sair do edificio! E interessante notar que eu sempre tive muito mais medo dos elevadores da TAAG do que de balas perdidas, emboscadas, recolher obrigatorio, denuncias, Casa da Reclusao, roubos, etc,etc....Naquele tempo havia muitas piadas sobre a seguranca dos voos (o pessoal que tinha sido enviado para a Jugoslavia ainda nao tinha acabado o curso) o que era injusto, pois nessa altura era a TAP que fazia a manutencao e providenciava a maior parte do pessoal de voo. Houve alguns sustos, mas nada por ai alem......e contava-se que numa emergencia do Sal a Havana descobriram que as caixas das mascaras de oxigenio tinham sido coladas com Patex, mas acho que isso foi so mujimbo..... Mas todo o mundo dizia que Deus era Angolano e jogava football pela TAAG!

2 comentários:

sol-tama disse...

mas eram bons tempos esses da Taag...
o nosso director de finanças (o bonito Luís Pimentel) com o seu charme convencia as 3 parvinhas a trabalhar até às tantas sem nenhuma compensação monetária. "Amor à camisola" dizia ele! Nem o recolher obrigatório o parava...também, uma morava mesmo ao lado do edificio da Taag, a outra parvinha morava (e mora) mesmo em frente - era só atravessar a rua, e a 3ª habitava na Maianga, mas essa ele encarregava-se de a levar às 11 e tal da noite...
Mas sabes, Deus continua a ser Angolano e a jogar futebol.

bjs
Fati

Flor disse...

EHEHEH
Boas recordacoes, nao e mesmo mana?
bjks
flor

My new "baby"

My new "baby"